Serviço da LBV aproxima comunidade

A educação e o conhecimento, mesmo não formais, são ainda as melhores ferramentas para a transformação social.

Confira, a seguir, trecho da reportagem “Aprendendo por toda a vida”, publicada na revista BOA VONTADE nº 276, de outubro de 2022. Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.


Solange Silva LucasJoão Batista da Silva, atendido pela LBV.
A educação e o conhecimento, mesmo não formais, são ainda as melhores ferramentas para a transformação social. Em Porto Velho/RO, cerca de 12 famílias de ribeirinhos do Beco Gravatal, no bairro de São Sebastião, próximo às margens do Rio Madeira, aproximaram-se mais umas das outras, graças à participação de integrantes idosos dessa comunidade no serviço Vida Plena.

É o caso de seu João Batista da Silva, 74 anos, que reside no local com um de seus filhos. Ele agradece a oportunidade de estar na LBV ao lado de seus vizinhos.

“As horas que a gente passa na LBV são maravilhosas. Depois que comecei a vir para a LBV, mudou várias coisas no Beco, porque ganhei amigos. Graças a Deus, eu me sinto muito bem por causa disso. A partir [do encontro na Instituição], a gente começou a se conhecer mais e a respeitar uns aos outros, isso é importante, porque há o respeito a cada opinião”.

Há quatro anos no serviço, o atendido afirmou que, durante a pandemia da Covid-19, a ação da Entidade foi fundamental, permitindo que não faltasse o que comer no lar. “A LBV me ajudou nos dois anos de pandemia dando cestas de alimentos e todo o apoio. Eu confio demais na LBV, em toda a sua equipe, sou grato por tudo isso!”

“Estar na LBV é uma terapia”, diz atendida

Solange Silva LucasMaria das Graças de Araújo
Semelhante sentimento compartilha dona Maria das Graças do Carmo de Araújo, de 69 anos. Viúva e residindo com a neta e a filha no Beco Gravatal, recebeu também da Entidade o amparo quando mais necessitou, a exemplo do que ocorreu com outros moradores da localidade.

“A minha filha foi demitida de onde trabalhava na pandemia, a gente ficou só com a minha pensão de um salário-mínimo, mas, graças a Deus, vencemos essa dificuldade com a ajuda da LBV, que é uma Instituição maravilhosa. A Legião da Boa Vontade deu apoio para mim e para a minha família na época em que adoeci e fiquei depressiva, além de cestas de alimentos [não perecíveis] e verdes.”

Solange Silva Lucas    

Por sinal, toda essa atenção tem sido essencial para o restabelecimento da saúde de dona Maria das Graças: “Eu me sinto muito acolhida pelos outros idosos, pela equipe da LBV, pelas amizades que formei na Instituição. Agradeço o encaminhamento para o médico, o cuidado, estão sempre ligando para mim para perguntar como estou. A minha filha diz que, quando volto da LBV, chego em casa alegre, contente”.

Apesar de morar há quase três décadas na comunidade, foi a partir de 2019, ano em que passou a frequentar o serviço Vida Plena, que fortaleceu mais o vínculo com os vizinhos:

“Tornou-se uma amizade, a gente se conhecia, mas não tínhamos aquele convívio de bater papo, conversar, achar graça… Graças a Deus, essa reunião, esse grupo na LBV, está mostrando esse lado bom das pessoas”, finaliza, feliz.

Para saber mais sobre a nossa atuação humanitária, acesse nosso site e siga @LBVBrasil nas redes sociais:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas