“Permaneci perto da LBV e da escola das crianças por conta de apoio”

Quando a ex-esposa retornou à terra natal, Idelvan da Silva buscou apoio na LBV para dar conta de suas obrigações.

Queremos que conheça a história do operador de máquina de moldar vidro Idelvan Vicente da Silva, 47 anos, morador de Campinas, no interior paulista.

Atualmente desempregado, ele encontrou no cuidado dos quatro filhos a razão de sua vida. A exemplo de outros homens, a separação da esposa acabou sendo o pontapé inicial para assumir essa responsabilidade, há 15 anos. “Sempre fiz tudo o que podia para não deixar meus filhos sozinhos”, afirma.

César FariaKleiton, atendido pela LBV em Campinas/SP, é o filho mais novo dos quatro criados por Idelvan da Silva, pai solo, que agradece o apoio alimentar da LBV neste momento de inflação alta e de tantas dificuldades para colocar comida no prato.

Quando a ex-companheira retornou, depois de um tempo, à cidade mineira de Iturama, Idelvan buscou uma rede de apoio para dar conta de tantas obrigações e compromissos.

“Graças a Deus, tem dado tudo certo, porque contei com o auxílio da minha mãe, que me ajudava sempre, e permaneci perto da LBV e da escola das crianças, por conta de apoio”, relata.

Ele explica que, há uma década, seus filhos têm sido atendidos pelo serviço de convivência da LBV, o que foi fundamental para o bom relacionamento entre eles. Em especial, nesses últimos dois anos de pandemia, quando ficou desempregado, vivendo apenas da renda do programa Auxílio Brasil e de pequenos bicos que faz.

Toda a família continua sendo beneficiada, embora, atualmente, só Kleiton Vicente, de 13 anos, o mais novo dos irmãos, frequente a unidade da LBV no município paulista, localizada no bairro Jardim Profilurb.

“A LBV ainda me ajuda com cestas de alimentos não perecíveis, cestas verdes, pães e outras doações, como material pedagógico [para o meu menino]. Penso que não posso reclamar da vida, porque, apesar de as coisas estarem difíceis, conto com a Instituição. Temos sempre que pensar no amanhã, confiar em Deus e pedir boas mudanças em favor da nossa família”.

{sbm a:l}Mesmo durante as férias escolares, Kleiton continua frequentando o Centro Comunitário de Assistência Social, o que lhe possibilita participar de atividades que propiciam a convivência comunitária e familiar, estimula o fortalecimento de vínculos e a ampliação de redes de apoio. Além disso, na LBV, possui acesso a uma alimentação de qualidade, em um momento em que a inflação dificulta ainda mais o acesso adequado das famílias à comida.

“Na LBV, ele toma café da manhã e almoça, chega em casa satisfeito”, finaliza.

Essa reportagem foi publicada, originalmente, na revista BOA VONTADE nº 274, de agosto de 2022. Para ler outras matérias desta publicação, clique aqui.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas